• Início
  • Blog
  • Vírus HPV no sêmen: importância atual e a busca pelo tratamento – estamos lidando com uma pandemia?

Vírus HPV no sêmen: importância atual e a busca pelo tratamento – estamos lidando com uma pandemia?

Importância do estudo do HPV no sêmen de casais com infertilidade sem causa aparente e em homens com alteração de motilidade sem outras causas identificadas.

O vírus do HPV é a infecção sexualmente transmissível mais comum entre homens e mulheres no mundo. Até hoje, mais de 150 genotipos de HPV foram sequenciados, dentre estes, 12 HPVs (16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58, 59) têm sido definidos como de alto risco para neoplasias malignas. A mais importante delas é o câncer de colo uterino, mas outros tumores malignos também têm associação direta com a infecção pelo HPV.

Consequentemente, nas útimas duas décadas, muitos esforços tem se concentrado no melhor entendimento da relação patogênica e nos mecanismos moleculares que aproximam o HPV do câncer, além do desenvolvimento de vacinas e melhora dos programas de screening. Considerando homens e mulheres, estima-se que a prevalência do HPV é de aproximadamente 40% na população.

O estudo do HPV no sêmen e seu impacto é muito recente e as descobertas até o momento já começam a mudar a avaliação e conduta nos homens e casais com histórico positivo para HPV.

Recentemente o HPV foi encontrado em células esfoliadas no liquido seminal e nos espermatozoides. Estimou-se inicialmente prevalência de 10% de HPV + no sêmen, sendo que alguns trabalhos mostraram até 18/20% de detecção do HPV em homens com infertilidade sem causa aparente. De fato, o HPV é encontrado mais frequentemente no sêmen de homens com astenozoospermia e infertilidade.

Estes achados levantam preocupações específicas, principalmente nos casais que serão submetidos a técnicas de reprodução assistida ou criopreservação terapêutica, pois ja existem estudos in vitro revelando que o HPV seminal pode impactar negativamente os resultados da fertilização in-vitro, mais especificamente na queda das taxas de implantação e taxas de gravidez. (Chan et al., 1996; Cabrera et al., 1997; Calinisan et al., 2002; You et al., 2003; Henneberg et al., 2006; Gomez et al., 2008; Boulenouar et al., 2010; Weyn et al., 2011; Hong et al., 2013).

Estudos in vivo revelaram que homens infectados com HPV no sêmen apresentam taxas de motilidade notadamentere reduzidas quando comparados com homens livres da infecção. Levando tudo isso em consideração, diversos autores propuseram recentemente técnicas de lavagem (sperm wash) para clareamento da carga viral do HPV no sêmen.

Dentre todas as técnicas possíveis de lavagem seminal, apenas a técnica de swim-up modificada por Garolla em 2012 (com adição de Heparinase III) pareceu ter sucesso, com remoção completa do virus. A técnica tradicional de swim-up reduziu em apenas 24% a carga viral.

Mensagens finais:

  • O HPV está mais comumente presente no sêmen de homens com infertilidade de causa desconhecida do que na população em geral.
  • O HPV se localiza na região central e na cabeça dos espermatozóides e sua presença esta associada a astenozoospermia independente da genotipagem do HPV.
  • Estudos não conseguem ainda demonstrar a relação entre infecção pelo HPV no sêmen e taxas de aborto.Estudos in vitro demonstraram que quando o HPV esta ligado ao espermatozoide ele pode ser transferido ao oócito e consequentemente ao embrião.
  • Portanto supõe-se que o HPV possa afetar diretamente as taxas de implantação de embriões infectados.
  • Abaixo organograma publicado no Andrology, 2015, 3, 163–173, sugerindo quando investigar e como lidar com suspeita de infecção pelo HPV no sêmen:

hpv semen 1


Locais de atuação

Dr. Conrado Alvarenga


Membro da Divisão de Urologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Localização


Rua Oscar Freire, 2250
Unidades T8/T9/T10
Oscar Freire Office São Paulo

Fale conosco


(+55 11) 3081-6851
conrado@conradoalvarenga.com.br