Vitaminas e Fertilidade

vitaminas

Grande parte dos homens com infertilidade não têm a causa descoberta pela equipe médica que o acompanha. São homens cujo tratamento é mais difícil e prolongado, principalmente em busca de uma melhora no espermograma e nos outros exames que são utilizados para avaliar a fertilidade. Estes homens podem ser tratados com alguns medicamentos e vitaminas com a intenção de melhora da fertilidade, embora muitos deles não tenham comprovações científicas adequadas para se afirmar tal beneficio.

Não podemos nos esquecer também de alimentos ricos em vitaminas especificas para a fertilidade, que serão abordados a seguir e que o acompanhamento médico é fundamental durante o uso de suplementos, medicações e vitaminas voltadas para a melhora da fertilidade. A promessa sempre é de melhora do número e qualidade dos espermatozóides, mas muitas vezes esta melhora não é acompanhada do aumento nas taxas de gravidez e em alguns casos, o uso de maneira errada ou sem a correta indicação, pode até piorar a fertilidade do homem.

O foco das vitaminas e medicações atualmente é o combate aos tão famosos radicais livres e seus efeitos ruins na produção dos espermatozóides. Desta forma muitas delas são conhecidas como anti-oxidantes.

Vitaminas

As vitaminas A, C e E são utilizadas para melhora da fertilidade. A vitamina A, presente no fígado, brócolis, frutas e vegetais de cor amarela, laranja e/ou vermelha (cenoura, damasco seco) é essencial para utilização de proteínas e de outras vitaminas.

A vitamina C, utilizada sobre a forma de comprimidos ou presente na laranja, brócolis, couve e couve flor, é um potente anti-oxidante e pode melhorar a motilidade dos espermatozóides. Uma dose diária de 1.000mg de vit C é suficiente.

A vitamina E pode ser protetora para mutações nos espermatozóides e auxiliar na produção de hormônios importantes para a fertilidade masculine, alêm de ser também um importante anti-oxidante. Suas fontes principais são: óleo de germe de trigo, óleo de girassol, nozes, amendoim e brócolis. Dose diária de 400UI é recomendada e pode ser encontrada em polivitamínicos. A carência de vitamina E pode levar a problemas no sistema reprodutor, como degeneração dos testículos e supressão da fertilidade.

O zinco, presente em cereais integrais, ostras, frutos do mar, germe de trigo, ovos, abóbora, avelãs e outras nozes, feijões, levedo de cerveja, cebolas, está associado a melhora da concentração e contagem de espermatozóides, na dose de 15mg por dia e também presente em diversos polivitamínicos.

Omega 3, geralmente encontrado em peixes, soja, milho, ovos ou leite melhora motilidade do esperma, aumentando assim as chances de fecundação com o óvulo. Também pode ser encontrada em preparados vitamínicos, na dosagem correta de 3g ao dia. Estudos em ratos, nos Estados Unidos, demonstraram reversão do estado de infertilidade com o uso prolongado de Omega 3. Estudos com ômega 6 e 9 ainda não demonstram ligação específica com a melhora da fertilidade no homem.

Vale lembrar que o estilo de vida saudável, como menos estresse, longe do cigarro, com o peso na faixa correta e a prática de atividades físicas são tão importantes quanto a ingesta adequada de vitaminas e suplementos e também que os efeitos destas substâncias é a longo prazo e não imediato. Mesmo casais que estejam em tratamento de reprodução assistida podem se beneficiar do uso de polivitamínicos. Uma boa orientação nutricional, aliada ao acompanhamento de cada caso por um especialista em reprodução humana podem ajudar a realização do sonho de ter filhos.

Tomates

tomate

Os tomates são uma das principais fontes do anti-oxidantes conhecido como Licopeno. Alguns estudos relacionam o uso do licopeno com melhora da motilidade seminal e da ultra-estrutura do espermatozóide. O licopeno está presente de maneira mais biodisponível em tomates cozidos ou processados e além do mais, por ser um anti-oxidante lipossolúvel, o ideal é associar com a azeite extra virgem de oliva.

Nozes

As nozes são extremamente ricas em ácidos grados do tipo ômega 3. Estudo interessante da ASRM recomenda a ingesta de 75g ( cerca de um punhado ) por dia, pois seus efeitos estão associados com melhora da vitalidade seminal, morfologia e motilidade. Uma ótima idéia para agregá-las de maneira mais agradável a nossa alimentação é triturando em saladas ou em lanches.

Sementes de Abóbora

As sementes de abóboras são riquíssimas em zinco, nutriente que desempenha papel fundamental no desenvolvimento do esperma e presente em ricas quantidades no sêmen. Além disso é co-responsável pelo metabolismo da testosterona, desde suas origens no sal de colesterol. Também são ricas em outras vitaminas essenciais e sais minerais.

Lentilhas

lentilha

Rica fonte de folato ( ácido fólico natural ), nutriente importante no contexto da fertilidade masculina e feminina. Parece haver evidência que baixo consumo de folato pode estar associado a aumento de anormalidades cromossômicas no sêmen.

Blueberries

blueberry

Potente fonte de quercitina e resveratrol, que são anti-inflamatórios e anti-oxidantes naturais. A quercitina parece atuar na motilidade seminal, enquanto o resveratrol no aspecto quantitativo.

Romã

roma

A romã tem sido considerada um super-alimento devido a sua elevada concentração de anti-oxidantes, que protegem nosso organismo do ponto de vista cardiovascular, reduzindo o processo inflamatório natural das placas de ateroma nas artérias. Ou seja, faz bem para a saúde das artérias. Além disso parece promover picos de testosterona, ainda não muito bem documentados, mas levando em teoria melhora dos niveis intra-testiculares deste hormônio. Estudos experimentais em ratos revelaram que após 7 semanas sendo alimentados com suco de romã, os ratos apresentaram aumenta na produção de anti-oxidantes que nos protegem contra radicais livres presentes no sêmen.

Chocolate Escuro – A boa notícia!!!!

Excelente fonte do aminoácido L-arginina, que parece aumentar o volume ejaculado por atuar no metabolismo da testosterona. Além disso, a L-Arginina parece atuar:

Estimulando o timo e provoca a produção de linfócitos nessa glândula.

Estimulando a secreção do hormónio do crescimento, a Arginina acelera a o processo de cicatrização de ferimentos, e inibe a perda de massa muscular após cirurgias ou ferimentos.

Os primeiros estudos sugerem que a arginina pode ajudar a tratar fissuras anais crónicas. São necessários estudos adicionais.

Demonstrou-se que a suplementação de Arginina previne os efeitos tóxicos e mortais da administração de amónia em ratos. Seres humanos que sofriam de algumas formas sérias de doenças do fígado também foram tratados com Arginina, com resultados excelentes.

A importância da Arginina na produção de espermatozóides está bem definida. Vários estudos mostram a relação entre a baixa contagem de espermatozóides e dietas deficientes em Arginina.

Fontes:
1. Arginine (L-arginine) Health. Visitado em 03 de Março de 2014.
2. Drugs and Supplements Arginine Mayoclinic. Visitado em 03 de Março de 2014.

chocolate

Dr. Conrado Alvarenga
Urologista
HC-FMUSP

Locais de atuação

Dr. Conrado Alvarenga


Membro da Divisão de Urologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Localização


Rua Oscar Freire, 2250
Unidades T8/T9/T10
Oscar Freire Office São Paulo

Fale conosco


(+55 11) 3081-6851
conrado@conradoalvarenga.com.br