• Congelamento Seminal

    Congelamento Seminal

  • Início
  • Especialidades
  • Congelamento seminal

Congelamento de sêmen, tabus e a realidade

img dr conrado alvarenga congelamento seminal

O atendimento do casal infértil, mais especificamente do homem com infertilidade, nos leva habitualmente a propor e auxiliar a decisão do casal infértil por congelar ou não sêmen. O congelamento seminal na sociedade brasileira ainda é revestido e inúmeros tabus e duvidas. Desde a confiabilidade do armazenamento das amostras até com relação ao risco de serem utilizadas sem o consentimento do casal ou os problemas que esporadicamente surgem quando o casal não apresenta mais interesse nas amostras estocadas. Hoje em dia já temos no pais centros que congelam sêmen com técnicas mundialmente padronizadas, seguras e com resultados pós descongelamento totalmente dentro dos parâmetros aceitáveis.

Quando pensamos em congelar sêmen? A resposta é: Indicamos o congelamento para homens com concentrações seminais abaixo de 5 milhões/ml, denominados oligospérmicos graves, homens que serão submetidos a tratamentos quimioterápicos ou radioterápicos, quando decidimos iniciar reposição hormonal em homens que ainda pretendem ser pais e em alguns casos que farão vasectomia e têm interesse em manter amostras congeladas, mesmo sabendo que a vasectomia é reversível.

A grande maioria das vezes é para preservação da fertilidade masculina previamente a tratamentos oncológicos complexos. Ainda hoje há tentativa nítida de conscientização da comunidade médica em sempre abordar o assunto antes do inicio do tratamento, principalmente em adolescentes e adultos jovens.

Congelar o sêmen pode evitar situações extremamente tristes e desconfortáveis: a cura da doença de base mas o surgimento de infertilidade definitiva, por lesão testicular irreversível durante o tratamento.

Quanto então indicamos a crioperservação de espermatozóides?

A- Para homens com concentração seminal abaixo de 5 milhões / ml e principalmente quando a concentração é abaixo de 1 milhão/ml, por segurança.

B- Para homens que serão submetidos a tratamentos oncológicos, principalmente os que correrão o risco de serem submetidos a quimioterapia e/ou radioterapia. Sabe-se que após os tratamentos, uma considerável parcela destes homens não apresentará mais espermatozóides no ejaculado ou nos testículos.

C- Para homens que serão submetidos a procedimentos cirúrgicos de busca de espermatozóides, como reversão de vasectomia e micro-dissecção testicular para azoospermia.

D- Para homens que serão submetidos a vasectomia e que desejam preservar a fertilidade.

E- Para homens que serão submetidos a cirurgias de próstata e que poderão evoluir com ejaculação retrógrada ou anejaculação.

Por quanto tempo pode permanecer congelado e a qualidade se mantem com o tempo?

Não há tempo limite para preservação so sêmen congelado. Ha relatos de gravidez com sêmen congelado até por mais de 25 anos. Sabe-se que aproximadamente 50% dos espermatozóides sobrevivem ao processo de congelamento/descongelamento, podendo variar em cada coleta. No entanto, capacidade de fertilização dos espermatozóides que sobrevivem não é alterada

E como meu sêmen fica armazenado e identificado? Como são os critérios de segurança?

Os pacientes geralmente são encaminhados ao laboratório por seu médico. Na primeira visita, podem esclarecer todas as dúvidas com relação à criopreservação com a Biomédica Andrologista do laboratório. Todo o processo é documentado, o paciente assina contrato e consentimentos que serão arquivados em seu prontuário.

Para segurança e confiabilidade no armazenamento das amostras, seguimos um protocolo rigoroso de identificação desde o atendimento inicial do paciente na recepção do laboratório até o fim do procedimento de congelamento com um sistema de identificação em código de barras, é emitido um número de registro para cada paciente. Esse registro é utilizado também para identificar toda a amostra armazenada no Banco de sêmen.

As etiquetas com nome e registro dos pacientes são testadas e aprovadas para que não sejam danificadas ou fiquem ilegíveis, elas suportam baixas temperaturas, já que o armazenamento é realizado em containers de nitrogênio líquido a uma temperatura de -196°C, que funcionam independentemente da energia. Um rigoroso controle de qualidade é feito diariamente pela equipe.

São necessários exames antes do congelamento?

Sim, para segurança dos pacientes e por exigência de Vigilância Sanitária, exames de sorologia são sempre solicitados. Estes exames devem ser feitos antes da criopreservação do sêmen e entregues no dia da primeira coleta. Se realizados após a primeira coleta, estes exames devem ser entregues no prazo máximo de 30 dias. Sorologia para: Anti HIV 1 e 2, PCR quantitativo para o HIV,Anti HTLV 1 e 2, Sífilis, HbsAg ( Antígeno Austrália), Anti Hbc, Anti HCV.

Mensagem final aos pacientes:

Vale lembrar que após a primeira coleta, o sêmen será avaliado antes do congelamento para verificar: volume, concentração de espermatozóides, motilidade e morfologia espermática. Além disso, em alguns casos realizamos a pesquisa de fragmentação de DNA espermático.

Alguns dias após o congelamento, uma pequena alíquota será descongelada para verificar a sobrevivência dos espermatozóides. Um relatório será entregue ao paciente ao final de todas as coletas e caso necessário ao médico (a) do mesmo.

Prêmios

Finalista no Concurso Prêmio Científico HC 60 anos – Pesquisa de infecção por Helicobacter pilori em paciente com câncer gástrico; estudo anatomopatológico, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, concorrendo com mais de 120 trabalhos científicos nas mais diversas áreas da Faculdade de Medicina da USP – Equipe Professora Angelita Habr Gama e Professor Joaquim Gama Rodrigues.

Melhor Tema Livre, como autor e apresentador do trabalho Instabilidade de Microssatélites no Câncer Gástrico Solitário e Esporádico , durante o XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, Centro de Convenções da PUC-RS – XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, concorrendo com 20 finalistas de todo o Brasil – Equipe Professora Angelita Habr Gama e Professor Joaquim Gama Rodrigues.

Menção Honrosa como co-autor do trabalho Quimioterapia e Radioterapia Pré-Operatória para Câncer de Reto Baixo. Impacto na Regressão do Estádio e Cirurgia Preservadora ao Esfíncter, Prêmio Oswaldo Cruz XXII Congresso Médico Universitário da FMUSP – Equipe Professora Angelita Habr Gama e Professor Joaquim Gama Rodrigues.

Terceira Colocação no Prêmio Oswaldo Cruz Área Cirúrgica, como autor do trabalho Instabilidade de Microssatélites em Câncer Gástrico Esporádico e Solitário, Prêmio Oswaldo Cruz XXII Congresso Médico Universitário da FMUSP- Equipe Professora Angelita Habr Gama e Professor Joaquim Gama Rodrigues.

Locais de atuação

Dr. Conrado Alvarenga


Membro da Divisão de Urologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Localização


Rua Oscar Freire, 2250
Unidades T8/T9/T10
Oscar Freire Office São Paulo

Fale conosco


(+55 11) 3081-6851
conrado@conradoalvarenga.com.br